Archive for May, 2011

week(end)

28/05/2011

Advertisements

blues for breakfast

26/05/2011

toda mudança cobra um alto preço emocional. antes de tomar uma decisão difícil, e durante a tomada, chora-se muito, os questionamentos são inúmeros, a vida se desestabiliza. mas então chega o depois, a coisa feita, e aí a recompensa fica escancarada na cara.

–Martha Medeiros, Doidas e Santas

a word has a lot of mean­ings

24/05/2011

tell me what it is that you see

24/05/2011

faça planos. planos só seus. seus e daquela pessoa que você escolher para dividir com você estes planos. ou aquela que te escolher. ou aquelas pessoas. você é que sabe. mas o fato é, abra a sua mente. seu plano é ótimo, mas é seu. o do outro é um outro tipo de ótimo. ou não. é muito mais fácil julgar a vida do cara do lado como miserável porque ela não condiz com a protótipo de vida perfeita que você, com toda sua vanguarda e modernidade, idealizou. é, talvez você não tenha 3 filhos. e se tiver, talvez o primeiro só venha depois dos 30. talvez você receba uma proposta internacional de trabalho. talvez você nem se case. mas isso não impede que você conheça uma pessoa legal e se divirta. e que quando tiver 35, a vida te surpreenda com trigêmeos. 😉
e para aqueles que pensam “hupf…comigo será diferente”, pode ser mesmo. mas talvez seja tão diferente que você nem imagine o resultado final.

music frame

16/05/2011

10/05/2011

any road will take you there

10/05/2011

você já parou pra pensar qual o seu grau de comprometimento com alguma coisa? sei lá, qualquer coisa. o que é uma obrigação e o que é prazer pra você? você já sabe tudo ou tá apenas começando? cria ou recria? define ou segue tendências? pensa com a tua cabeça ou a partir de estereótipos?
a grande jogada de se viver nesse planeta é: ninguém sabe.
temos o direito de mudar de idéia, de não saber o que queremos da vida, de acabar uma relação que nos diminui, de começar do zero depois do fim, de morar sozinho, de morar juntos, de enxergar estranhos naqueles que já conhecemos, de morrer de amores por desconhecidos.
o que importa é, um dia você vai acordar e por mais independente e sensacional que seja a sua vida, você ainda vai ter dúvida e medo. dúvida de não conseguir subir mais um degrau. e medo de não querer subir este degrau. de não dar certo, de perder aquela pessoa, aquele show, aquele filme no cinema, aquela festa.
é, pois é. mas e daí? isso é, simplesmente, viver.

you

01/05/2011