Archive for August, 2010

departing

23/08/2010

rhyme and reason

23/08/2010

meus olhos estavam vermelhos do oceano que fluia para dentro e fora do meu corpo, tanto que eu não conseguia enxergar mais nada. temporariamente cega por um amar tanto, com uma coração tão grande, tão pesado, tão disposto a derramar tudo o que sente. os pensamentos não iriam me parar. sim, eu sabia. existia uma luta frequente entre o meu coração e a minha mente. mas eu também sabia que meu coração prevalecia, sempre. e essa continua sendo a única maneira que eu sei fazer. para viver. e falar. e cantar. e ser. mas isso também faz de mim uma criança, ingênua e as vezes, porque não, tola e lenta para perceber quando as coisas não vão bem com o meu coração. mesmo assim eu escolho ir com ele, com o meu coração. e vou me recusar a deixá-lo endurecer mesmo que os oceanos tomem conta de mim. não sou uma daquelas pessoas que usa isso como desculpa para ir embora, navegar para longe, para um lugar distante. porque essas pessoas tornam-se mais solitárias, cercadas apenas por si mesmos e pelo mar. e eu, bom, eu prefiro ficar sozinha rodeada por pessoas queridas. esperando. esperando por uma chance de, estando por perto, no final, valer a pena. com os meus sentimentos costurados na manga da minha camisa, incorporados aos meus joelhos, ao meu pescoço, aos meus lábios. e mesmo sendo uma vida perigosa de conduzir, eu não consigo evitar… é como eu sempre fui, como eu sempre serei. uma lutadora, com o meu músculo mais forte bem debaixo do centro-esquerdo do meu peito. pulsando.

a beautiful mess

22/08/2010

hold thight

18/08/2010

são eles. os detalhes. pequeninos… aquelas coisinhas que fazem momentos e pessoas serem pra sempre, mesmo que seja por pouco tempo.

i got mine

17/08/2010

frontiers

16/08/2010

we were taught how the pioneers went into the west. they opened their eyes and made up what things could be. a long time ago, things got broken here… people got sad and left.

maybe the world breaks on purpose, so we can have work to do. people think there aren’t frontiers anymore…
they can’t see how frontiers are all around us.”


16/08/2010

week(end)

13/08/2010

a primeira lição está dada: o amor é onipresente. agora a segunda: mas é imprevisível. jamais espere ouvir “eu te amo” num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. ou receber flores logo após a primeira transa. o amor odeia clichês. você vai ouvir “eu te amo” numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza. idealizar é sofrer.

amar é surpreender.

— martha medeiros

candy light, sugar night

10/08/2010

feels like home

09/08/2010