Archive for October, 2010

week(end)

29/10/2010

three words

27/10/2010

flowers bloom in sunlight

27/10/2010

nossa Senhora da flor roxa
rosai por nós
assim na vida como no chão
a primavera de cada ano
nos dai hoje
encantai nossos jardins
assim como encantamos o do nosso vizinho
e não nos deixei cair em tentação
de esquecer tuas flores.

– Alice Ruiz

at your door

25/10/2010

 

 

e aí, a vida te apresenta mais uma chance. abre os olhos e tenta não deixar passar dessa vez, hein?
acorda mais cedo, não deixa a tv ligada, ou melhor, nem liga a tv. paga a conta da luz no dia certo, liga para os seus pais mais vezes, sorria mais. ou não. mas respeite mais. os outros e, claro, você mesmo. foca nos seus objetivos. os criados por você ou aqueles que se apresentaram no meio do caminho. foca. mas fica tranquilo, porque nada é muito maior ou menor do que o seu tamanho real. você consegue.

e é isso aí. o mundo não pára de girar e o tempo não pára de passar. entendeu o recado? outra coisa: imprevistos acontecem, o azar existe, mas eles só terão impacto sobre você, se você permitir.

então vou repetir: aproveita essa chance. porque talvez você não lembre quando foi a primeira e com certeza não sabe se será a última. simplesmente abrace-a.
chances só se mostram pra quem tem capacidade. É… e parece que você tem. Ah, e não esquece. bota um sorriso nessa cara…

from this moment on

18/10/2010

certos momentos nos fazem esquecer que existe um mundo lá fora.
– Vinicius

15/10/2010

unexpected

14/10/2010

a quarter past wonderful

13/10/2010

I believe in miracles. but not the big ones. just that kind that keep happening to us if you pay enough attention.

body and soul

13/10/2010

hoje faz um ano. ah tá, então era esse o aperto no meu peito? achei que era a bronquite voltando. não. é a lembrança que veio pousar de leve na minha cabeça. faz um ano que todas as minhas verdades cairam. que eu senti uma dor real, quase palpável. um ano que eu tomei um novo rumo. um ano de descobertas. um ano de redescobertas, por que não dizer.
é… demora um tempo para limpar o corpo de si mesma. deixar-se esvaziar para encontrar-se consigo. mas hoje eu sei que tudo o que eu fiz e tudo aquilo que eu poderia ter feito, não importa mais. ponto final. não adianta, somos imperfeitos e cometemos erros. e tememos. tememos aquilo que não conhecemos, aquilo que não entendemos. mas existem sentimentos que nos mostram que somos seres humanos. dentro de um olhar, da nossa respiração (ou falta dela), naquele sorriso, nas mãos entrelaçadas de um jeito único, a partir de um gesto inesperado, de uma conversa franca ou do silêncio apenas, é possível perceber o que somos.
então hoje, um ano depois, prefiro olhar para o ano que está por vir. olhar o meu coração. cheio, quase explodindo de felicidade. e, ao contrário do que poderia acontecer, acredito mais e espero por algo melhor. sempre. e não há nome para definir. está lá, apenas, acontece. é mais que sentir. é viver. sem esquecer de estar sempre presente. senão, não teria a menor graça.

week(end)

08/10/2010