Posts Tagged ‘eu’

infinite sky

04/12/2013

sim, a culpa é sempre sua. sempre. culpa sua forçar a me reinventar em cada um dos meus dias. culpa sua não me deixar seguir a tentação fácil, mas sim montar planos de vida mais complexos, como saltar de asa delta a profundezas oceânicas. culpa sua eu me fazer, desfazer e refazer novamente, de acordo com o que imaginei ser uma invenção tamanha, a qual dei o nome de amor. culpa sua eu ter coragem para enfrentar o novo. ter que rever todas as minhas crenças todos os dias. e isso acontece para o bem e para o mal. porque sem dores, quedas, desencontros e pedras no caminho, não existiria a transformação que me fez amadurecer e evoluir ao que sou hoje. melhor. melhor para você e para a nossa futura filha. e porque não, uma “melhor eu”, para mim mesma. a culpa é sua, sim senhor. culpa de me fazer tão feliz.

e por tudo isso, culpa sua que quando penso no futuro, fecho os olhos e ao reabrí-los, você aparece sentado numa cadeira de balanço daquelas que as nossas avós tinham, sorrindo para mim.

ff39ba0020bee2c488b32dae1442a353

6c565034719bb7bc670d3ade07d36aa2

Advertisements

serendipity

15/04/2013

hoje você foi o meu assunto do dia para ele. falei que você fazia a barba quando ia me encontrar, e que quando eu disse que eu adorava você com barba, você de repente parou de fazer. e nunca mais fez de novo. eu disse que o seu cabelo era mais escuro e que acho que um dia você vai ficar todo grisalho e vai ser o grisalho mais bonito da cidade. disse que a gente brigou bastante, mas que bastou uma madrugada definitiva em que os dois ficaram acordados, cada um na sua casa, para resolvermos ficar juntos e olhar para outra direção. falei do dia anterior ao casamento, quando entramos na agua gelada de Junho e o mar nos deu a benção de Iemanja.
falei desse jeito que você olha pra baixo quando sorri sem graça e também que você fica bravo e ansioso quando não sabe o que dizer. eu disse que gosto quando você me dá a mão e não apenas a segura, mas intercala os seus dedos entre os meus e sinto como se nossas mãos estivessem travadas por esses ossinhos que ficam no meio dos dedos e então nunca mais fossem se soltar. eu disse também que você acorda com os olhos adoravelmente inchados e por esse motivo eu gostaria de te ver acordar todo dia. mas é mentira minha, não é só por esse motivo, é por muitos tantos outros. eu disse que você não quer chegar perto de mim depois do basquete porque acha que está todo suado, mas que isso é uma bobeira porque eu gosto de todos os seus cheiros, porque, eles são seus. e, porque se são seus, são meus também.
eu contei que queria morar no seu abraço, porque quando você me abraça, a minha cabeça tem um encaixe perfeito em você. eu contei que, quando você chega, o meu dia se enche de luz solar (a minha preferida) e a minha noite, de estrelas. e que tudo com você é melhor, as vezes mais fértil e colorido, as vezes mais complicado, mas que você me faz acreditar em destino, em sonhos, em futuro.
e que, se toda pessoa tem um lugar no mundo, você é o meu lugar.
e que você estará sempre por perto de mim e dele.
Tenho certeza de que ele sorriu.a1738a6c97f5e5c826ca08556e6b398c

I want you and your beautiful soul

01/03/2011

sempre que leio Saramago, mesmo que seja apenas um trecho pequeno, me lembro da grandeza dele. é algo que não é própria de homens pequenos, com pouca alma. seu estilo difícil, linguagem única e emoção quase fervente são produtos de uma alma sensível e pensativa. sempre que leio Saramago, acabo pensando na minha própria vida, e nos caminhos que escolhi para ela até hoje. aprendi a ser apenas eu. apenas eu?? corrijo: MUITO eu. porque fácil é ser algo que você ouviu falar ou seguir aquilo que os outros pensam para você.  eu escolhi o caminho mais largo, mais belo, mas também o mais duro. fui atrás daqueles momentos em que pensamos que o melhor do mundo são as pessoas e que elas são capazes de coisas tão extraordinárias que nos fazem achar um sentido para esta existência tão estranha. eu não saberia percorrer qualquer outro. sou movida pela consistência dos sonhos, a navegar pelo mundo, de porto em porto, nem que seja porque o descanso é coisa reservada à eternidade.

 

mas voltando ao Saramago, o filme sobre a vida dele é daquelas histórias que despertam uma comoção tal, que fiquei perplexa, sem conseguir sequer chorar, sentindo a pele arrepiar. e não vou esquecer a maior declaração de amor, de Saramago para Pilar: “se eu tivesse morrido antes de te conhecer, Pilar, teria morrido sentido-me muito mais velho. se eu tivesse morrido antes de ter vivido este momento, teria morrido muito mais ignorante e muito menos feliz.”

Ah, Saramago…

to talk about

26/09/2010

ela: já decidi o que eu quero de presente.
ele: ah, é?
ela: é.
ele: o que?
ela: você comigo, todos os dias da minha vida.
ele: desculpa, mas não posso te dar isso de presente
ela: por que ?
ele: seria um presente pra mim, e não pra você.

you belong with me

29/03/2010

cara eu,

eu te conheço desde pequenininha. e desde então sempre fui apaixonada por você.

eu amo como vc sempre me faz sorrir, ou me coloca para cima quando estou triste e para baixo, ou como faz uma piada que só eu entendo. eu amo como você me conta seus segredos que ninguém mais sabe, ou como me conta uma história do seu dia e de alguma forma me faz sentir como se eu estivesse realmente lá.

eu nunca quis te deixar. e quero te dizer que neste período, eu te procurei por todos os lugares que um dia conhecemos, para te dizer como eu me sentia e para conversar com você, como costumávamos fazer.

eu estava lá, esperando você voltar. mas você não me notava.

agora você voltou. eu nunca mais quero que você seja essa pessoa. e farei tudo ao meu alcance para garantir que você seja sempre o melhor que você pode ser.

eu quero segurar sua mão. e quem sabe, você segure a minha de volta.